"Nós temos um propósito para a vida dessa comunidade", diz presidente da APB


A história da Associação Positiva de Brasília (APB) na luta contra a exclusão social em Brasília tem como protagonista a presidente Gláucia Oliveira. É ela que tem dado continuidade ao trabalho iniciado pela mãe, em 1984, com o propósito de acolher famílias carentes que, àquela época, residiam na chamada “Invasão do Ceub”.

De lá pra cá, sob o olhar cuidadoso de Gláucia, inspirada em sua matriarca, com o amor e dedicação dos técnicos, a APB tem realizado, junto à comunidade do Itapoã, uma série de ações de inclusão, social e cultural, geração de trabalho e renda, ampliação da cidadania, popularização da ciência e da arte e de preservação do meio ambiente, buscando, sempre, superar e romper a cadeia de reprodução da exclusão social.

O Espaço Cultural Quilombo é onde todo esse amor, carinho, dedicação e responsabilidade se materializam por meio de cada um dos projetos e atividades realizados diariamente. Um trabalho difícil, incansável, mas, sobretudo, extremamente gratificante por causa do impacto que essas ações têm na vida de cada criança, adolescente ou idoso que atendemos.

“É no sorriso de cada uma dessas crianças, que vivem com poucas oportunidades e em vulnerabilidade, e na alegria de viver dos nossos idosos que mora nossa maior recompensa. Não é à toa que, vez por outra, trabalhamos voluntariamente. Nós temos um propósito para a vida dessa comunidade”, diz Gláucia, com um orgulho que não cabe em si.